PUBLICIDADE

O site de viagens KAYAK realizou uma pesquisa nas principais cidades de negócios da América Latina nos últimos 12 meses com o intuito de descobrir o preço médio, em dólar, dos hotéis 5, 4 e 3 estrelas. Bogotá, na Colômbia, é a cidade com hotéis 5 estrelas mais barata da região, com opções a partir de US$ 164,00.

Buenos Aires, na Argentina, vem em segundo lugar, US$184,00; Lima, no Peru, em terceiro, US$194,00, e São Paulo, capital, em quarto lugar a U$S 196,00. Cidade do México, no México, e Santiago, no Chile, têm os hotéis mais caros a US$199,00 e US$213,00, respectivamente. Já o valor das hospedagens das principais cidades dos EUA e do Reino Unido é quase o dobro. Por exemplo, em Nova York, um hotel de luxo custa US$ 484,00 e em Londres US$ 406,00. A variação é de mais 190%.

“Mesmo os hotéis 5 estrelas, que parecem ser mais caros, às vezes, em baixa temporada, podem oferecer ao consumidor ofertas atraentes”, diz Kaio Philipe, Country Manager do KAYAK.

Na comparação com os hotéis 4 estrelas, o cenário não muda muito, mas os preços sim. Por exemplo, um hotel na capital argentina ou colombiana custa US$89,00, seguido por São Paulo, a US$95,00, e Cidade do México, por US$117,00. Se a cidade de Santiago teve a média de preço mais cara para cinco estrelas, com 4 ele ocupa a penúltima opção, com hotéis em média de US$144,00. Lima é a opção mais cara para este tipo de acomodação, em média um hotel custa US$ 154,00.

Entre os hotéis com opções mais acessíveis, os três estrelas, o cenário muda. Bogotá é a opção mais barata, US$58,00, e com uma diferença de US$14,00 para a segunda posição, que é São Paulo, a US$72,00, seguido por Buenos Aires, a US$73,00; Cidade do México a US$74,00, Lima US$83,00 e Santiago, a US$89,00.

“Devido aos grandes eventos esportivos dos últimos anos, o número de hospedagens no país cresceu e isso é ótimo para o turismo”, acrescenta Kaio. Atualmente, o Brasil conta com mais de 10 mil empreendimentos e mais de 500 mil quartos, segundo pesquisa realizada pela consultoria Jones Lang LaSalle (JLL) e pelo Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil (Fohb).

Vale ressaltar que o Brasil possui o Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem (SBClass), baseado em uma série de requisitos como: recepção 24h, café da manhã, restaurante bar, colchões especiais, banheira, concierge, entre outros que as hospedagens devem atender. O sistema foi construído por meio de uma parceria entre o Ministério do Turismo, Inmetro, Sociedade Brasileira de Metrologia e sociedade civil. Os critérios brasileiros não, necessariamente, são iguais aos de outros países.

Observações: Os preços apresentados na pesquisa estão em dólar. Se convertidos em Reais podem mudar muito, de acordo com a cotação do dia. O levantamento foi realizado nos últimos 12 meses. A pesquisa apresenta preços médios para uma noite de hospedagem.

PUBLICIDADE